terça-feira, 26 de maio de 2009

Fazendo cocô!!


Já se refez da notícia de ontem?
Então senta que lá vem história...
As pessoas que têm perda anal, em geral têm uma fragilidade da musculatura dos esfíncteres anais.
Ou seja, uma torneira meio frouxa, que nem acontece em algumas perdas urinárias.
Na verdade, são dois tipos de torneira no ânus (na bexiga também), o esfíncter interno, cujo controle é involuntário, e o externo, com controle voluntário.
As fezes ficam acumuladas no trecho final do intestino, que se chama sigmóide, bem de boa.
Após uma refeição, prá caber no intestino a turma nova que vem prá ser digerida, a gente tem um reflexo chamado de gastrocólico, que faz com que as fezes desçam prá porção que fica logo acima do ânus, a ampola retal.
Chegando lá, o esfíncter interno dá uma relaxadinha e a gente logo tem vontade de evacuar.
Se nós vamos atender a esse apelo irresistível do corpitcho, beleza.
É só estar preparado, no vaso sanitário, e relaxar voluntariamente o esfíncter externo que as fezes saem.
Sem precisar fazer força.
Mas, se a gente num pode/quer fazer isso naquela hora, então damos uma seguradinha, apertando o ânus e, em cerca de dois minutos, o esfíncter interno se contrai novamente e o bagulho fica por ali.
Só que ali num é lugar de ficar muito tempo, concorda?
O espaço não é grande, a água das fezes vai sendo absorvida prá acomodar melhor e... o cocô fica ressecado, num formato redondo.
E mais difícil de sair.
Comeu de novo? Começa a ladainha novamente, pois seu corpo quer se livrar daquele resíduo que está lá na fila, esperando.
Capturou por que num se deve adiar a evacuação?
Deu vontade, vá ao banheiro.
Senão, da próxima vez será bem menos agradável.
P.S. Imagens do Google

11 comentários:

  1. Lá venho eu de novo. Seguinte: minha mãe teve cancer de intestino, precisou retirar 90 cms do intestino grosso. Desde então vive com diarréias bravas, tem que controlar a dieta, nunca mais pôde comer saladas ou frutas nem nada com fibras. Já teve deficiência nutricional séria por causa disso e vive insegura, com medo de acidentes, tem dias que realmente não pode sair na rua, fica presa em casa de tão solto que fica o intestino, realmente é algo que afeta a qualidade de vida dela, limita bastante. Tem alguma coisa que ela possa fazer pra melhorar essa situação? O gastro dela diz que não, que tem que se adaptar e aceitar porque isso é o esperado em quem fez a cirurgia que ela fez. É verdade?

    ResponderExcluir
  2. Sílvia, sua mãe provavelmente fez uma grande cirurgia que costuma ter, como sequela, a incontinência anal. Já procurou uma nutricionista? Creio que poderia ajudar. Não sei maiores detalhes para dizer nada a respeito mas, talvez, conversando com o cirurgião, haja alguma possibilidade de fazer exercícios de fortalecimento da musculatura.
    Isso é uma idéia, apenas.
    Vou falar do tema mais prá frente, ok?
    Beijoconas,

    ResponderExcluir
  3. Achei bem interessante o seu post, aliás, o seu blog, vou acompanha-lo!
    Um abraço...

    ResponderExcluir
  4. Seja bem-vinda, Cybelle, e volte sempre.
    Beijoconas,

    ResponderExcluir
  5. Quando eu era criança em todo canto que eu ia não havia banheiro que me coubesse. Naquele tempo (nem faz tanto tempo assim, vai) acessibilidade era um termo muito inédito. O resultado era que eu ficava hooooras sem ir ao banheiro e, pros meu "zintestino" o resultado era desastroso. Hoje eu sou um minino reloginho! Beijocas!!! Tá excelente isso aqui!!!

    ResponderExcluir
  6. Parabens pelo blog , gostei muito.

    www.pessoacomdeficiencia.com

    ResponderExcluir
  7. Eleni Valentim dos Santos18 de junho de 2009 15:13

    Parabéns pelo seu blog, como sempre vc arrasa né!!!!

    Elení

    ResponderExcluir
  8. BOA NOITE, TIVE UM CaNCER NO INTESTINO GROSSO E RETIRADO O SIGMOIDE E 20 CENTÍMETROS DO INTESTINO GROSSO,VIZ POR VIDEOLAPARASCOPIA, E TIVE UM RESULTADO EXCELENTE . mas já se passaram 3 anos o primeiro foi terrivem e os seguintes nçao tenho conttrole de gases e fezes isto é ua sequela que fica, tenho muita facilidade em evacuar e sempre que como vou ao banheiro, e fora das refeições tenho sempre perda de fezes sendo obrigada a mudar a minha roupa intima não seguro 1 segundo

    ResponderExcluir
  9. minha mãe não consiguia fazer nem um cocôzinho a uma semana e ela teve uma ideia ir fazer cocô no mato levou um rolo de papel higiênico foi para o mato quando chegou no local abaixou as calças mas não estava com vontade de cagar com as clças abaixadas levantou de pé fez muita força se agaixou e fez mais força e saiu voutou para casa e de repente deu uma fisgada depois deu mais 5 figadas dai foi no banheiro e saiu um montão de cocôzões inundou o vaso e acabou e isso é verdade hein.

    ResponderExcluir
  10. Boa tarde Gisele,
    gostamos muito de seu blog. Inclusive republicamos este seu post em nosso blog: www.incontinenciaanal.wordpress.com
    Parabéns pela forma simples, clara e bem humorada de tratar sobre o tema.

    ResponderExcluir
  11. Fiz uma cirurgia de ileostomia não tenho intestino grosso perdi por completo devido uma retocolite urcerativa. Em 2003 usei bolsa mais depois fiz a reconstrução e de 2011 pra cá nunca mais parei de ter incontinência e passei a usá fraldas até hj foram feito vários tratamento e nada resolveu, já não suporto mais.
    Se eu soubesse que ia fica desse jeito, tinha ficado com a bolsa mesmo.
    Neste meu caso posso volta a coloca a bolsa de colonostonia? Pessoalmente prefiro do que fica a sim.
    Amei o blog e resolvi tbem participar.

    ResponderExcluir